segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Estalando a Coluna - Dor nas costas - Fisioterapia Campinas

Estalando a coluna


Existem hoje inúmeras formas de terapias que utilizam o estalar da coluna como tratamento, tais como o Quiropraxia, Osteopatia, Terapias Manuais, entre outro. Os leigos dizem até que o terapeuta “chegou a coluna no lugar”.
Mas o que é o estalo na coluna? O paciente corre algum risco? Mas afinal para que servem os estalos?
Calma! Vamos responder todas as suas questões.
O estalo na coluna nada mais é do que a abertura rápida ou brusca de uma articulação da coluna, igual quando estalamos os dedos quando os puxamos com força. Portanto não se trata de fratura na coluna, nem tão pouco de se “colocar uma vértebra no lugar”, como é dito popularmente.
Existem alguns riscos sim, neste tipo de manobra, pessoas com osteoporose, com suspeita de fratura, com calcificação de artérias tem contra-indicação a esse tipo de tratamento. Porém um profissional experiente terá condições de avaliar as indicações contra-indicações e riscos de cada paciente, e ainda utilizar outro tipo de técnica para o tratamento.
Os estalos? Sim eles aliviam as dores e relaxam a musculatura, mas não é só esse o beneficio que eles podem nos proporcionar. Para cada vértebra da coluna há um conjunto de nervos que correspondem a ela. Estes nervos enviam informações para músculos, pele, vasos sangüíneos, e vísceras (estomago, intestino etc.). Quando um músculo está tenso, existe uma alteração na vértebra que corresponde a esse músculo, e conseqüentemente, a pele, os vasos e vísceras que correspondem a essa vértebra também ficam alterados. Algumas dessas alterações podem passar desapercebidas, outras podem trazer efeito imediato como cólicas, prisão de ventre, dores de cabeça, gastrite. Uma dessas alterações, que fique por muito tempo pode até se transformar em patologia como, por exemplo, uma ulcera no estomago. Quando o profissional, bem preparado trata de seu paciente realizando manobras que produzem estalos, ele está desbloqueando o movimento da vértebra, o que gera um estimulo reflexo para que as funções de tudo aquilo que corresponda a ela se normalize. Normalmente temos a capacidade apenas de sentir o relaxamento muscular. Ufa! Que alívio!
Indicadas por uns, e contra-indicada por outros, podemos concluir que as manobras com estalo na coluna podem ser de grande benefício para qualquer pessoa, e quem a contra indica, o faz apenas por desinformação. Procure sempre um profissional que tenha uma boa formação.
Felipe Ribeiro Mascarenhas, Fisioterapeuta, Osteopata

Fone: (19) 32513297


Corpo são! - Fisioterapia Campinas

Corpo são, mente sã

Não há na história nenhuma afirmação mais verdadeira que essa: “Corpo são mente sã”. E agora já temos comprovação cientifica do que os filósofos orientais já diziam há anos.
A Neurociência, é uma modalidade nova de estudo do cérebro e do sistema nervoso que vem nos demonstrando através de modernas técnica de pesquisa como nós pensamos, e como o cérebro funciona..
Segundo estudos recentes, foi demonstrado que nossa consciência não reside no cérebro, e sim no corpo. O que significa dizer que se não tivéssemos corpo não teríamos consciência da nossa existência, nossas emoções e sentimentos. É isso mesmo, nossas emoções e sentimentos se manifestam antes de tudo no corpo, através de aumento do suor, alterações dos batimentos cardíacos, modificamos nossa freqüência respiratória, tensões musculares, contração e dilatação da pupila, etc. Quando o cérebro processa essas informações, ele conclui se estamos com raiva, com medo, ansiosos, apaixonados ou se estamos amando! Portanto os cientistas concluíram que o corpo faz parte da mente, e mais, a mente está no corpo, o cérebro apenas processa as informações para que possamos concluir o que sentimos.
Por isso devemos sempre tratar bem o corpo (que é a casa da mente), todo tipo de cuidado para o corpo é bem vindo, desde a alimentação, passando por exercícios e massagens.
Corpo e mente tornam-se praticamente a mesma coisa, e a alteração em um traz alteração no outro, sento corpo e mente um via de mão dupla. Por isso é possível notar transtornos psicológicos manifestando no corpo, como dores musculares, vômito, alteração de postura, e em casos extremos a anorexia ou a obesidade.
Da mesma forma que podemos notar um transtorno psicológico através do corpo, podemos também tratá-los através de terapias corporais, como é o caso da acupuntura desenvolvida pelos chineses a milhares de anos, ou através de massagens, ou ainda através do Reequilibrio Somato Emocional. Trata-se de uma técnica desenvolvida por fisioterapeutas e psicólogos, que visa um tratamento para transtornos psíquicos, através do corpo, utilizando massagens e exercícios específicos. Logicamente que em alguns casos o paciente deverá ter o acompanhamento de um psicólogo, ou até mesmo de um psiquiatra, em casos mais extremos.


Dr. Felipe Ribeiro Mascarenhas, Fisioterapeuta

Fone: (19) 3251-3297

Curso de Terapia manual Aplicada ao Tratamento da ATM

Terapia Manual Aplicada ao Tratamento da ATM

INTRODUÇÃO - Devemos olhar a ATM como parte integrante de um todo, de forma holística, pois sabemos o quanto pode ser grande a amplitude da interferência desse único sistema no organismo humano. Desta forma abordamos o tema da ATM de forma mais ampla possível, tendo como base conhecimentos da Osteopatia, Reeducação Postural Global e Posturologia. O Fisioterapeuta deve estar muito bem preparado para conduzir um tratamento desta articulação, pois e crescente o nosso reconhecimento ante a odontologia e, pensando no ser humano como um todo, cedo ou tarde nosso tratamento passara por essa articulação.
Objetivo- Trazer conhecimentos mais amplos sobre o sistema estomatognático, e compreender técnicas de intervenção especificas de terapia manual e osteopatia.


Conteudo Programatico
Anatomia da ATM
– Abordaremos as principais estruturas anatômicas que compõem essa articulação, alem da musculatura envolvida e seus trigger points

Biomecânica da ATM
– Estudo do funcionamento mecânico da articulação e como alterações na mecânica articular podem desencadear disfunções

Avaliação da ATM
– Protocolo sistematizado de avaliação

Técnicas manuais de tratamento da ATM
– Serão abordadas técnicas de manipulação, mobilização, alem de técnicas de tratamento para trigger points, técnicas cranianas e noções de posturologia

felipe@colunaemdor.com.br


Programação Técnicas Osteopáticas - Curso Osteopatia

Programação Técnicas Osteopáticas

Agenda de cursos

Porto Alegre

Curitiba

Campinas

Florianópolis

Belo Horizonte

São Paulo

Informações:


Curso Técnicas Osteopáticas - Osteopatia

INTRODUÇÃO - A Osteopatia é um método de tratamento, criado em 1874 pelo Médico Norte americano Andrew T. Still, que vem sendo estudada e aprimorada por Fisioterapeutas de todo o mundo, desde sua criação.
Este método tem uma forma própria de avaliar e tratar o paciente. O tratamento é realizado através de técnicas manuais de tratamento, onde o terapeuta utiliza suas mão, alavancas com seu corpo e com o corpo do paciente, criando assim um movimento terapêutico, com o objetivo de normalizar as funções do corpo do paciente.
A Osteopatia vem sendo amplamente utilizado pelos fisioterapeutas brasileiros desde os anos 90, pois tem se mostrado um forte aliado nos tratamentos, com resultados rápidos e espetaculares.

Objetivo
Esse curso tem como objetivo introduzir o aluno aos conceitos da osteopatia, e dar recursos para que ele desenvolva um diagnóstico e tratamento osteopático


Conteudo Programatico
-Histórico da Osteopatia
Breve histórico da osteopatia, desde seu inicio ate sua introdução no Brasil e regulamentação do Coffito
-Introdução aos conceitos Osteopáticos
O aluno será introduzido aos conceitos teóricos e filosóficos que norteiam o trabalho do osteopata
-Fisiologia Osteopática
Conceitos de lesão Osteopática, hiper-mobilidade, hipo-mobilidade, leis mecânicas da coluna vertebral
-Diagnóstico e Tratamento Osteopático da coluna lombar
Estudo da mecânica da coluna lombar, principais pontos de fragilidade, testes ortopédicos e testes Osteopáticos, manobras de tratamento
-Diagnóstico e Tratamento Osteopático da coluna torácica
Estudo da coluna torácica, testes ortopédicos, testes Osteopáticos, manobras de tratamento
-Diagnóstico e Tratamento Osteopático da coluna cervical
Estudo da mecânica da coluna cervical, fragilidades, indicações e contra-indicações para as manipulações, testes específicos e manobras de tratamento

-Diagnóstico e Tratamento Osteopático dos membros superiores e inferiores
Estudo das principais lesões dos membros, identificação das lesões através de testes Osteopáticos e manobras de tratamento
-Osteopatia Craniana
Introdução aos conceitos de tratamento craniano, mecânica de funcionamento do crânio,e suas lesões, e técnicas de tratamento craniano

-Osteopatia Visceral
Conceitos de tratamento visceral, formas de tratamento e diagnostico diferencial

felipe@colunasemdor.com.br

http://www.colunasemdor.com.br/fisioterapia/agenda-cursos.html



domingo, 14 de dezembro de 2008

Perguntas Freqüentes - Fisioterapia Campinas

Perguntas mais Freqüentes

Minha coluna travou, quando devo procurar um fisioterapeuta?
R: Deve procurar o fisioterapeuta imediatamente. Antes de tomar um antiinflamatório ou analgésico, o fisioterapeuta tem recursos que podem aliviar sua dor, sem mascarar seu sintoma e em casos mais graves ele saberá exatamente a qual especialista deve te encaminhar. (em casos de trauma recomendamos que vá direto ao pronto-socorro)

Estou com dor nas costas, uso compressa quente ou fria?
R: No caso de uma dor aguda (que teve início nas ultimas 24 hora), se for traumático (contusão, entorse, ) você pode fazer compressa fria. Quarenta minutos de gelo sobre o local da dor. Dores antigas e dores musculares, é muito bom fazer compressa de calor. Mas lembre-se de procurar sempre um especialista.

Estou com uma dor em minha coluna, preciso passar por um médico para ser encaminhado para o Fisioterapeuta?
R: Não, para ser tratado por um Fisioterapeuta, você pode se encaminhar direto a ele, pois a Fisioterapia é uma profissão independente, portanto não necessita de aval de nenhum outro profissional para atuar. Além disso, o Fisioterapeuta tem formação suficiente para identificar para diagnosticar e tratar disfunções do sistema músculo-esqueletico, caso haja contra indicação ao tratamento ou dificuldade de diagnóstico fisioterapeutico, o Fisioterapeuta tem por obrigação encaminhar para ao especialista mais indicado para realiza-lo. No caso de convênios, contrariando leis, e normas e até mesmo a ética profissional, alguns convênios exigem o encaminhamento por parte do médico, neste caso o conveniado deve procurar um médico para que este o encaminhe para o fisioterapeuta.

Minhas costas começaram a dar problema, vou sentir dor a vida inteira?
R: Não necessariamente. Isso é algo que depende de você e de um bom tratamento. Existem pessoas que tem hérnias de disco, e mesmo sem cirurgia levam a vida normalmente, inclusive fazendo coisas que normalmente são contra indicadas tais como andar a cavalo ou correr. Mas para isso é preciso de um bom tratamento. Em caso de problemas simples a dor pode nunca mais voltar.

Os remédios não fazem efeito, o que está acontecendo, o que devo fazer?
R: Os remédios podem não estar fazendo efeito por não serem adequados ao tratamento, por estarem em dose errada, ou porque ainda não terminou o tempo de tratamento proposto pelo médico. Neste caso você deve retornar ao médico que indicou o tratamentoe expor o problema, só ele poderá fazer ajuste na dosagem ou alterar a medicação. Mas também existem problemas que tem origem na mecânica corporal, como por exemplo, dores relacionadas a má postura. Por melhor que seja o remédio, não há remédio capaz de alongar um músculo ou alinhar o corpo de alguém. Neste caso você pode se encaminhas a um Fisioterapeuta, que fará o melhor tratamento caso não haja contra indicação.



O que é escola de postura?
R: Escola de postura, ou Back School, é um método onde o paciente irá obter informações sobre anatomia, mecânica da coluna, tratamentos e remédios disponíveis, e exercícios para a coluna. Além de o paciente ter essas informações ele irá aprender como se posicionar no dia-a-dia para realizar tarefas sem forçar a coluna, exercícios de alongamentos, e exercícios para aliviar as dores. Ou seja, o paciente irá tomar consciência do que é o seu problema, saberá identificar as causas de piora do problema, e finalmente irá aprender como levar uma vida com qualidade, com o problema adquirido. É um tratamento ideal para pessoas que possuem dores crônicas na coluna, também é um programa ideal para empresas onde grande parte dos funcionários encontram-se afastados por motivos de dor. A escola de postura pode ser realizada em sessões individuais ou em grupo.

Tenho uma leve dor nas costa, porém constante. Fui ao médico e o exame de RX não mostrou nada, tomei o antiinflamatório recomendado pelo médico, mas a dor continua. O que devo fazer?
R: Você pode procurar um fisioterapeuta especialista em Osteopatia. Muitos dos problemas que causam dores na coluna podem não aparecer em exames, e estes também não melhoram com remédios. Dores como essa podem ser causados por falta de mobilidade em um ponto específico da coluna, ou seja uma vértebra específica não se move, por isso a dor. O Osteopata, através de exames específicos será capaz de identificar essa falta de mobilidade e trata-la. Além disso, a formação desse profissional permite que seja feito um diagnóstico diferencial, ou seja, identificar se realmente é esse o problema, e a partir daí ou realizar outro tipo de tratamento, ou encaminha-lo para o profissional certo que possa resolver o problema. (lembro que nem toda dor sentida na região da coluna, é problema de coluna, pode tratar-se de um problema visceral).


Caso tenha alguma dúvida, envie-nos um e-mail ou entre em contato. Teremos o maior prazer em ajudá-lo.
felipe@colunasemdor.com.br

O que é osteopatia

O que é Osteopatia?
A osteopatia é um sistema de tratamento que utiliza técnicas manuais para proporcionar ao organismo um equilíbrio para que tenha condições de reagir frente a diversas patologias, sem o uso de medicamentos ou procedimentos cirúrgicos. A técnica foi desenvolvida por um médico norte-americano por volta de 1874 como uma alternativa de tratamento, uma vez que naquela época havia escassez de medicamentos. Uma dúvida comum é que as pessoas acham que a técnica trata de doenças relacionadas ao osso. Este é um termo grego que significa disfunções a partir do sistema músculo-esquelético, ou seja, é mais amplo que um tratamento de patologia óssea.

O que é possível tratar usando a técnica da Osteopatia?
A osteopatia trata das doenças do sistema músculo-esquelético, que consistem em problemas que afetam as articulações, músculos e tendões. É mais comum ser tratado dores na coluna; pescoço (torcicolo); hérnia de disco. Além dessas patologias, a osteopatia trata também de dores de cabeça, que podem estar relacionadas a problemas na coluna, gastrite, hérnias de hiato, tendinites e DORT’s (doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho – exemplo LER).

O tratamento osteopático é muito utilizado também como método de prevenção?
Com certeza. Pacientes que já apresentaram problemas na coluna, ou possuem um histórico familiar se beneficiam com a osteopatia, por exemplo. É comum também tratar pessoas que trabalham sentadas ou em pé o dia inteiro, pois a técnica proporciona melhor movimentação nos músculos e articulações, evitando possíveis doenças.

Quais as técnicas utilizadas na osteopatia?
Existem várias. Pode-se exercer uma pressão sobre algum ponto do organismo; deslizar a mão sobre o corpo, ou realizar pequeno impulsos proporcionando ajuste articulares; enfim, inúmeras técnicas, sempre utilizando as mãos. Este procedimento não dói, ao contrário do que muitos pensam, pois é bastante suave. Mas é claro que pode existir uma região do corpo que o paciente sinta desconforto, devido à irritação ou inflamação. O único instrumento utilizado no consultório é uma maca que permite posicionar o corpo do paciente de diversas maneiras para realizar o tratamento, permitindo também na descompressão dos discos da coluna.

Quem pode ser beneficiado com o tratamento? Existe alguma restrição?
Todas as pessoas. Desde recém-nascido que tenha refluxo, cólica muito intensa, não dorme direito por ser muito agitado ou apresente algum atraso leve no seu desenvolvimento, passando pelo adulto que tenha problemas posturais ou dores devido ao crescimento, até os idosos. É claro que existem restrições. A técnica é contra-indicada quando o paciente apresenta uma patologia de base como, por exemplo, osteoporose muito severa. Outro exemplo é quando o paciente apresenta uma dor no ciático causada por um tumor na próstata, ou seja, isso não é um problema que um osteopata possa tratar, porque o que está comprimindo o ciático deste indivíduo é o tumor, e somente um tratamento cirúrgico com um oncologista pode resolver. Então, se existem estas patologias de base o tratamento é restrito, fora isso não tem nenhum contra-indicação ou efeito colateral.

Quais os benefícios obtidos com o uso deste tratamento?
O tratamento osteopático evita que o paciente utilize muitos medicamentos. Não estou afirmando que o tratamento medicamentoso não é necessário, pois dependendo da situação é preciso conciliar a osteopatia com medicamentos indicados pelo clínico. A grande vantagem é que o paciente não fazendo excesso de uso de remédios está evitando algum efeito colateral que pode surgir devido ao seu uso constante. O tratamento também evita o procedimento cirúrgico, pois por mais modernas que estejam às técnicas, sempre existem riscos. O tratamento também apresenta benefícios em relação a fisioterapia tradicional, pois o tempo de duração é muito menor.

Como é a forma de atendimento e qual a duração do tratamento a estes pacientes?
É preciso enfatizar que a osteopatia é como qualquer outro terapia e precisa ter uma seqüência para que o organismo responda a este tratamento. As sessões são realizadas com intervalos de no mínimo cinco dias entre elas. A primeira sessão chega a durar cerca de uma hora, porque é preciso fazer toda a avaliação do paciente. As sessões seguintes duram em torno de 40 a 50 minutos. O tempo de duração do tratamento depende do caso, mas em média leva de 5 a 8 sessões.
(autor desconhecido)

felipe@colunasemdor.com.br

Síndrome Ombro Mão - Fisioterapia Campinas

Síndrome Ombro Mão (distrofia simpático reflexa)


Autor: FT. Felipe Ribeiro Mascarenhas (1998)


Quadro clinico e etiologia


A síndrome ombro mão é um distúrbio neurovasculrar reflexo, geralmente chamado de distrofia simpático reflexa que é caracterizado de uma forma geral por:
1. Dor ou hiperestesia no ombro, punho ou mão
2. Limitação dos movimentos em:
· ombro, com a maior parte da restrição na flexão lateral e abdução.
· punho, com maior parte da restrição na extensão do punho.
· mão, com a maior parte da restrição na flexão metacapofalângica e interfalângica proximal secundária aos ligamentos colaterais encurtados.
3. Edema da mão e punho secundário ao comprometimento circulatório dos sistemas venoso e linfático, que por sua vez precipitam a rigidez da mão.
4. Instabilidade vasomotora.
5. Alterações tróficas na pele.
A medida que a condição progride:
1. Dor que vai cedendo mas a limitação nos movimentos persiste.
2. A pele torna-se cianótica e brilhante.
3. Os músculos intrínsecos da mão atrofiam.
4. Os tecidos subcutâneo nos dedos e fáscia palmar se espessam
5. Ocorrem alterações nas unhas.
A síndrome ombro mão pode desenvolver-se em associação com um acidente cardiovascular, infarto do miocárdio, ou osteoartrite cervical ou após traumas como uma fratura do úmero ou cateterismo e em alguns casos, a doença pode ocorrer sem nenhuma causa subjacente.
Essa condição pode durar meses ou anos, mas a recuperação espontânea geralmente ocorre em 18 a 24 meses.
Essa patologia geralmente se processa em 3 estágios:
1. Estágio I
Dura de poucas semanas a 6 meses. Os pacientes apresentam dor, diminuição da amplitude de movimento e rubor no membro afetado. A pele pode apresentar hiperestesia e hipersensibilidade. Nesse ponto, não conseguimos observar evidência de osteoporose baseada em exame radiológico.
2. Estágio II
Dura outros 3 a 5 meses. A tumefação diminui, mas a rigidez e a amplitude de movimento diminuída tornam-se mais pronunciadas. Também, há uma atrofia do tecido subcutâneo e músculos. São observados também sinal de iniciais de contraturas. O exame radiológico geralmente mostra osteoporose localizada em faixas.
3. Estágio III
Dura meses e provoca alterações irreversíveis, as características são atrofia progressiva da pele, músculos, ossos e articulações. A dor pode estar menor mas há uma grave redução da amplitude de movimento. O fluxo sangüíneo para o membro está diminuído, assim como a temperatura cutânea. A radiografia mostra osteoporose difusa com descalcificação pontilhada.


Tratamento


É um sintoma progressivo, a menos que seja feita uma intervenção vigorosa.
Aumentar a ADM do ombro e a da mão se estiverem limitadas, usando técnicas específicas nas estruturas limitadas e trabalhando dentro da amplitude livre de dor: mobilização articular, inibição muscular, alongamento de tecido mole.
Facilitar contrações musculares ativas com exercícios tanto isotônicos como isométricos e atividades leves de sustentação de peso.
Aliviar a dor e aumentar os estímulos sensoriais com estimulação elétrica transcutânea ou gelo.
Aplicar compressão pneumática se houver edema. Elevar e colocar compressão elástica quando não estiver recebendo tratamento.
Orientar o paciente sobre a importância de seguir o programa de aumento de atividade.
O médico pode querer fazer um bloqueio do gânglio estrelado ou usar medicação intramuscular junto com exercícios terapêuticos.
Pode-se fazer ainda o bloqueio do gânglio, e drenagem de edema utilizando correntes diadinâmicas e galvânica.



Curso de Mobilização Neural - Terapia Manual

Curso Teórico e Prático de Mobilização Neural

Há algum tempo Fisioterapeutas e ortopedistas voltaram sua atenção para o sistema nervoso. Com o crescimento ainda recente das doenças conhecidas como LER/DORT, o conhecimento do sistema nervoso periférico se fez ainda mais necessário. O constante aparecimento de doenças como síndrome do Túnel do carpo, e dores ciáticas, e a ineficácia de inúmeros tratamentos realizados, incluindo cirurgias, nos fez parar para refletir. Talvez nossa resposta estivesse além de simples compressões mecânicas, biomecânica articular e muscular. Nos trabalhos de Alf Breig e posteriormente David Butler e Robert Elvey onde encontramos respostas para nossas constantes dúvidas.
Estudando os trabalhos desses autores, entre outros, vemos a validade de se incorporar a mobilização do sistema nervoso como parte do nosso arsenal de tratamentos, lembrando sempre que a eficácia da técnica também depende da forma como vemos a patologia no corpo humano. Sendo o corpo uma unidade, não podemos nos esquecer da intima relação, de cada uma de nossas estruturas, e que o sistema nervoso está intimamente relacionado com o tecido conjuntivo que o envolve.

Objetivo:

O objetivo deste curso é fazer com que o aluno aprenda de forma integral a utilização das técnicas de mobilização do sistema nervoso, além de aprimorar sua avaliação, tornando seu diagnóstico clinico ainda mais confiável e seus tratamentos ainda mais eficazes.

Conteúdo:

Módulo I
- Anatomia do Sistema Nervoso
- Fisiologia do Sistema Nervoso
- Biomecânica do Sistema Nervoso
- Técnicas Básicas de Mobilização do Sistema Nervoso

Módulo II

Anatomia do Sistema nervoso dos MMSS
Desfiladeiros
Mecânica do Sistema Nervoso dos MMSS
Técnicas de Mobilização do Sistema Nervoso para MMSS

Módulo III

Anatomia do Sistema nervoso dos MMII
Desfiladeiros
Mecânica do Sistema Nervoso dos MMII
Técnicas de Mobilização do Sistema Nervoso para MMII

felipe@colunasemdor.com.br




sábado, 13 de dezembro de 2008

Curso de Posturologia

Posturologia


Com o aprofundamento do estudo do sistema tônico postural, aprendemos a abordar diferentes patologias através de tratamentos mais etiológicos. Reconhecemos então sistemas que regulam o tônus postural, alterando a postura e causando diversas patologias quando desregulado Reprogramando o sistema tônico através de seus captores posturais desenvolvemos uma nova abordagem do estudo e tratamento da postura, com grande eficiência.
Sendo assim a Posturologia torna-se uma valiosa arma no arsenal do Fisioterapeuta, otimizando ainda mais seus resultados

Objetivo

O aluno irá aprender a desenvolver um trabalho completo de Posturologia, sabendo de forma objetiva e prática como trabalhar cada captor postural e outros fatores de interferência postural, podendo levar o conhecimento de forma integral para sua prática diária.

Curso de SOT - Técnica Sacro Occipital - DeJarnette

Técnica Sacro Occipital de DeJarnette
(Tratamento com as cunhas)
-Curso inédito...primeiro no Brasil-

O Dr. Major Bertrand DeJarnette (1899-1992), Osteopata e Quiroprático, criou seu método que denominou de Técnica Sacro Occipital (S.O.T.), como uma forma científica, clara e eficaz de tratamento.
Baseado nos conceitos de biomecânica, pulsos cranianos, e movimento do líquido cefalorraquidiano, desenvolveu inúmeras pesquisas cientificas que embasaram seu método.
Com uma avaliação muito específica, classifica seus pacientes em 3 categorias distintas, e utiliza o “bloking” , colocação de cunhas sob a pelve, para alinhar a pelve permitindo que o corpo busque um alinhamento mais correto, tratando assim os mais diversos sintomas. Além disso, utiliza a Técnica Reflexa Manipulativa Quiroprática (C.M.R.T.), uma técnica de manipulação de pontos reflexos que auxilia e complementa o tratamento.
O Técnica Sacro Occipital não é simplesmente uma técnica complementar de tratamento, e sim uma metodologia completa de avaliação e tratamento cientifico e independente que visa suprimir a causa do mal funcionamento do organismo, em busca da homeostase, utilizando o mínimo de força.

Objetivo

O curso Técnica Sacro Occipital de DeJarnette tem como objetivo, passar o conteúdo integral do método, de forma simplificada, fazendo com que o aluno seja capaz de aplicar com eficiência e obter resultados assim que retornar à sua prática clínica.


Conteúdo

· Histórico
· Introdução
· Testes de Avaliação
· Ferramentas de Tratamento
· Protocolo de Avaliação e Tratamento para Categoria 1
· Protocolo de Avaliação e Tratamento para Categoria 2
· Protocolo de Avaliação e Tratamento para Categoria 3
· Técnica Reflexa Manipulativa Quiroprática (C.M.R.T.)
· Técnicas diretas
· Tratamento de Escolioses