sexta-feira, 29 de junho de 2012

Tratamento de Dores com Hipnose


Analgesia em episódios de dor aguda ou crônica

Toda dor tem dois componentes: um físico, devido à lesão tecidual, e um psicológico, que amplifica a percepção desta dor. O emprego de técnicas hipnóticas pode desligar definitivamente o componente psicológico da dor, diminuindo por si só grandemente a necessidade de analgésicos. Excelentes resultados podem ser conseguidos também com o componente físico da dor, porém aí são freqüentemente necessárias sessões repetidas ou a prática de auto-hipnose. Lombalgias e outras dores de coluna, LER/DORT e fibromialgia, dor pélvica crônica e outras síndromes dolorosas respondem muito bem à hipnose.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Kinesio Tape - Kinesio Taping - Kinesio Tex Gold



Kinesio TapingO método Kinesio® Taping foi inventado pelo Dr Kenzo Kase na década de 70 no Japão, com o objetivo de ser um tratamento entre as sessões de quiropraxia, e para isso ele desenvolveu a bandagemKinesio® Tex Gold. Primeiramente utilizado em clínicas de reabilitação tomou proporções internacionais devido a sua utilização nas Olimpíadas de 1988 em Seoul, sendo introduzida nos EUA em 1995, e na década seguinte no Brasil. Nas Olimpíadas de Beijing, em 2008 mais de 200 atletas utilizaram a Kinesio® Tex Gold durante a competição.
A Kinesio® Tex Gold é um adjunto terapêutico para atletas e pacientes - independentemente do perfil do paciente, todos podem beneficiar-se. Indicada em lesões agudas e crônicas com o objetivo de dar suporte e estabilização muscular permite aos pacientes uma melhor recuperação. Profissionais da saúde e pacientes, ao longo do mundo todo, concordam que a Kinesio® Tex Gold é uma ferramenta importante para a prevenção e reabilitação seja no meio esportivo ou na prática clínica.

KINESIO® e KINESIO® TAPING são marcas registradas da KINESIO IP, LLC.



terça-feira, 26 de junho de 2012

Tratamento de Doenças com hipnose


Tratamento de doenças orgânicas e funcionais

Há um número muito grande de doenças em que não existe lesão ou comprometimento da estrutura de determinado órgão. Estas doenças são conhecidas como doenças funcionais, e nesse grupo de patologias a hipnose, assim como o efeito placebo, obtém excelentes resultados.
Como exemplos de disfunções, citam-se:
  1. Neurológicas: Enxaquecas e outras cefaleias crônicas; certas tonturas e vertigens; zumbidos (tinnitus);
  2. Digestivas: Gastrites; dispepsias; obstipações; certas diarreias crônicas (síndrome do cólon irritável); halitose;
  3. Respiratórias: Asmas brônquicas; rinites alérgicas; roncos e apneia do sono;
  4. Genitourinárias: Enurese noturna; incontinência urinária; disúria funcional; dismenorreia; tensão pré-menstrual.
  5. Sexuais: Impotência psicológica; frigidez e vaginismo; ejaculação precoce; diminuição do libido;
  6. Dérmicas: Urticária e outras alergias; doenças de pele associadas a fatores emocionais;
  7. Cardiovasculares: Hipertensão arterial essencial, certas arritmias cardíacas.
Em todas as outras doenças, hipnose também é indicada, podendo auxiliar quer no manejo dos sintomas desagradáveis ou ainda potencializando ou provendo os recursos de cura do próprio paciente.
Sabe-se hoje da íntima relação do sistema imunológico e fatores emocionais. A prática da hipnose pode predispor o organismo como um todo para a cura ou manutenção da saúde.
Obviamente não se indica a hipnose como tratamento isolado ou principal para doenças graves como o câncer. O paciente portador de câncer, entretanto, que receber treinamento em hipnose, pode precisar de menores doses de medicação analgésica, controlar melhor os efeitos adversos do tratamento quimioterápico e radioterápico, ter melhor apetite e disposição geral, além de uma postura mais positiva frente à doença e seu tratamento.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Tratamento de dores nas costas - Dor na coluna


Por: Felipe Ribeiro Mascarenhas
                Fisioterapeuta

Prevenção: O tratamento mais indicado é a prevenção. Como diz o velho ditado: “é melhor prevenir do que remediar”.
Para prevenir temos que pensar em vários aspectos, desde a alimentação até hábitos diários. Excesso de peso e/ou mudanças bruscas de peso (engordar durante as férias, gravidez) podem levar a sobrecarga na coluna e a alterações posturais.

Posições inadequadas para trabalhar, mesmo no serviço doméstico também podem trazer problemas para a coluna.

Falta ou excesso de exercícios. E também o tipo de exercício realizado. No caso dos exercícios temos que observar ainda o equipamento utilizado para realiza-los. Esteiras rolantes sem amortecimento, calçado impróprio, quadra com piso muito duro são alguns exemplos que podem trazer sobrecarga para a coluna.

Posições que são mantidas por muito tempo, como por exemplo, quem trabalha (ou brinca) no computador pode trazer tensão para alguns grupos musculares, causando desconforto e dor.

A partir da hora que você tem uma dor, ou uma limitação na coluna, então você precisa de cuidados especializados,  podendo recorrer a tratamentos de diversas modalidades.

Remédios: São na maior partes das vezes paliativos, pois não atuam na causa, e sim no sintoma do problema. Lembre-se que remédios não mudam sua postura, nem alongam seus músculos. Algumas vezes a melhora acontece enquanto se toma o remédio, pois estes atuam sobre as inflamações, ou faz com que seus músculos se relaxem (mas isso pode te custar uma gastrite), isso é atuam na conseqüência e não na causa.

Os remédios podem ser usado como coadjuvantes de tratamentos fisioterapêuticos (osteopatia, RPG, Terapia
manualou acupuntura). Não use remédios sem a indicação de um Médico. (Fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, massagistas não receitam remédios!)


Cirurgia: Só em caso extremos. É normalmente o ultimo recurso a ser usado. Toda cirurgia é um trauma para o organismo. Um trauma controlado, mas é um trauma. A cirurgias consiste em remover fisicamente o causador da dor, ou alterar a mecânica do corpo. (Sempre que há uma cirurgia há uma cicatriz, que também pode ser uma patologia).


Osteopatia: Indicado principalmente para casos agudos. Na maioria das vezes é o tratamento que trás maior resultado. A técnica consiste em realizar manobras sobre as estruturas da coluna com o objetivo de restaurar seus movimentos fisiológicos. É indicada para pessoas de qualquer idade, e as técnicas são realizadas sempre dentro do conforto do
paciente.


Acupuntura: Indicada para casos muito agudos onde é quase impossível que o paciente se movimente. Também tem ótimos resultados no caso de dores crônicas. A acupuntura consiste em inserir finas agulhas em pontos específicos, fazendo com que o corpo libere endorfinas (antiinflamatório natural). Estas endorfinas são substancias capazes de melhorar e aliviar dores de diversas patologias da coluna.


RPG: sua indicação é para aqueles indivíduos que possuem dores de origem postural, e dores devido à falta de flexibilidade. É um ótimo tratamento para crianças e adolescente, em fase de crescimento. Aumenta a flexibilidade da coluna e corrige alterações posturais através de alongamentos específicos.


Massagem: ótima indicação para aqueles que tem dores devido a tensões musculares, e para quem costuma sentir o “peso do dia nas costas”.


Terapia-Manual: Indicado para casos agudos e crônicos.


Back School: Indicado para todas as pessoas que sofrem ou sofreram algum tipo de dor na coluna, e para as pessoas que possuem fragilidade na coluna, como hérnias de disco, bicos de papagaio e cirurgias de um modo geral. Trata-se de uma técnica onde o indivíduo aprende a lidar de diversas formas com o problema que tem, além de aprender a realizar exercícios preventivos e de alívio para seu problema.


Também é interessante a associação das técnicas, pois não existe técnica infalível e o que é bom para uma pessoa pode não ser bom para outra, mesmo que tenham o mesmo probema.

O profissional que realiza Fisioterapia, Osteopatia, RPG, Acupuntura, Terapia Manual, tem a capacidade de realizar um bom diagnóstico, sabendo, portanto quais as indicações e contra indicações do seu tratamento. Sendo este profissional um Fisioterapeuta, ele pode ainda fazer o uso de exames complementares para ter sua conclusão.

Esse profissional tem a capacidade de realizar a maioria dos tratamentos possíveis para a coluna, caso o tratamento não esteja ao seu alcance ele também tem a capacidade de encaminha-lo a outro tipo de especialista.


Copyright © Todos os direitos reservado para Felipe Ribeiro Mascarenhas
 
Atenção!
Se você deseja reproduzir, ou divulgar esse texto deve inserir o nome do autor e o endereço do site www.colunasemdor.com.br logo abaixo do título do texto.

sábado, 23 de junho de 2012

O Transe Hipnótico


Transe hipnótico não é inconsciência

Embora durante a indução hipnótica frequentemente se utilizem expressões como "durma e sono", tal é feito porque tais palavras criam a disposição correta para o aparecimento do transe. Não significam, em absoluto, ingresso em estado inconsciente.
Traçados eletroencefalográficos de pacientes em transe, mesmo profundo, aparentemente adormecidos, revelam ondas alfa características do estado de vigília em relaxamento.
O paciente em transe percebe claramente o que ocorre à sua volta, e pode relatá-lo.
A parte mais importante da indução hipnótica se denomina rapport, que pode ser definido como uma relação de confiança e cooperação entre o hipnólogo e o paciente. Qualquer violação desta relação com sugestões ofensivas à integridade do paciente resultaria em interrupção imediata e voluntária do estado de transe por parte do mesmo. Infundado, portanto, o temor de revelar segredos contra a vontade ou praticar atos indesejados. Da mesma forma, a crença de que se pode morrer em transe ou não mais acordar é meramente folclórica e não corresponde à realidade. Um paciente "esquecido" pelo hipnólogo sairia espontaneamente do transe ou passaria deste para sono fisiológico em poucos minutos.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Estalos nas Coluna durante uma Sessão de Osteopatia


Ruído Manipulativo

        O ruído que se ouve durante uma manipulação é geralmente apreendido pelos pacientes pela primeira vez. O medo provocado pode levá-los a verdadeiras reações de pânico caso as devidas precauções não sejam tomadas. Deve-se explicar brevemente em que consiste esse fenômeno acústico. De fato, para o grande público, isso ainda é assimilado a um "colocar no lugar" do "deslizamento vertebral" ou da articulação "deslocada", ao passo que se trata de um fenômeno sonoro natural que acompanha simplesmente a decoaptação das superfícies articulares surgido durante a impulsão manipulativa.


Mecanismo

        A compreensão científica desse ruído cumpriu várias etapas.
        Parece que o primeiro a ter a idéia de estabelecer relação entre as manobras articulares dos curandeiros e o ruído foi Thomas Marlin (1932). Em artigo publicado na revista The Lancet, dedicado ao bone-setting, ele forneceu a explicação mais razoável: a da "formação de um vazio durante a separação das superfícies articulares" e da repentina irrupção sonora de gás nesse vazio. Marlin também observou o tempo de latência necessário à reprodução do fenômeno.
        Por sua vez, Nordheim estabeleceu, em 1938, relação formal entre o gesto manipulativo e o ruído articular.
       Foi preciso, porém, esperar até o ano de 1947. Os trabalhos de dois anatomistas ingleses - J.B. Roston e R.W. Haines- disponibilizaram autêntica explicação científica. Com a ajuda de um material confiável de verificação e com tomadas radiográficas sucessivas, esses autores conseguiram, de fato, a prova da separação brusca e sonora das superfícies articulares metacarpofalangicas quando era aplicada tração superior a 7Kg. Também  verificaram a impossibilidade de reproduzir esse ruído nos 20 minutos seguintes, pois a articulação não reagia da mesma forma nesse período.
       Em 1971, Unsworth, Downson e Wriht confirmariam essas conclusões, determinando que o ruído aparecia não no momento da formação das bolhas de gás, mas 1/100 de segundos depois, durante seu estalo.


Significação

       Ao nível da coluna, o ruído provém das articulações vertebrais posteriores.
       Em nenhum caso, sua ocorrência permite garantir a precisão do gesto manipulativo no plano a ser tratado, podendo a ação da manipulação situar-se em um plano sadio, dois ou três planos acima ou abaixo. Pode também ocorrer desde o início da tensão, antes de qualquer impulsão.
      Sua ausência não permite igualmente concluir a ineficácia da manobra. Unsworth, Downson e Wriht ressaltaram, com efeito, que certo número de articulações manipuladas não produziam ruídos. Esse fato era atribuído a propriedades mecânicas particulares ou a fenômenos inflamatórios.
       No nível da articulação sacroilíaca, o ruído é abafado e nitidamente diferente daquele das articulações posteriores


Referências

Le Corret, François; Rageot Emmanuel. Atlas prático de Osteopatia. Porto Alegre: Editora Artmed, 2004.

Hipinose para Fisioterapeutas


Curso de Hipnose para Fisioterapeutas


Primeiro encontro 6 de Agosto de 2012 das 19horas até 22 horas e 30 minutos
Segundo encontro 13 de Agosto de 2012 das 19horas até 22 horas e 30 minutos
Terceiro encontro 20 de Agosto de 2012 das 19horas até 22 horas e 30 minutos
Quarto encontro 27 de Agosto de 2012 das 19horas até 22 horas e 30 minutos

Local: Rua Antonio Lapa 1252 – Cambuí – Campinas SP
Investimento de 700,00 Reais que poderão ser parcelados em até 5x sem juros para inscrições feitas pelo site.
Para outras formas de pagamento entre em contato com

Esse é um curso para quem pretende se diferenciar ante ao mercado, e aos seus pacientes. É um curso para pessoas ousadas, e muito inteligentes, pessoas capazes de trabalhar a sua própria transformação, pois irá transformar a forma como vê as doenças e como você aborda seus paciente.

Não faça esse curso, se não se enquadra nas características acima.

“A única constante do universo é a mudança” (Albert Einsten)

Objetivo
Introduzir o Fisioterapeuta nas técnicas de hipnose, melhorando a sua abordagem e comunicação com seus pacientes, operando assim uma transformação em sua forma de atendimento e atuação, otimizando seus resultados.

Conteúdo
-Primeiro encontro
Histórico da hipnose
Inportancia da Hipnose como ferramenta de trabalho para o Fisioterapeuta
Como Funciona a hipnose
Técnicas de Rapport, para estabelecer empatia para facilitação do processo terapêutico. (técnicas verbais e não verbais)

-Segundo encontro
Níveis de Transe hipnótico
Linguagem hipnótica – Como e quando usar em pacientes de Fisioterapia.

-Terceiro encontro
Técnicas de hipnose, e indução de transe
Prática de hipnose

-Quarto encontro
Como usar a hipnose no dia-a-dia do Fisioterapeuta
Trabalhando e modulando a dor
Como trabalhar patologias com o uso da hipnose

Carga horária total 20 horas
Curso apostilado com certificado
Poucas vagas (apenas 6 por turma)

terça-feira, 19 de junho de 2012

Curso de Bandagem Kinesio Funcional


Curso Teórico e Prático de Bandagem Kinesio Funcional
CONFIRMADO!!!
 18 e 19 de Agosto de 2012
 Fone:             (19) 3251-3297      
Inscrição on-line aqui! - Investimento de 600,00 Reais


 

Há muito tempo o ser humano vem usando esse recurso como forma preventiva e de tratamento, podemos encontrar indícios disso em antigas escrituras gregas e até em pinturas egípcias. Apenas no inicio da década de 70 é que esse recurso foi estudado e organizado cientificamente e os materiais utilizados tiveram um grande salto tecnológico em meados dos anos 80.

Utilizando faixas, esparadrapos, e outros materiais é possível realizar imobilizações muito especificas para cada articulação, mantendo sempre em funcionamento as amplitudes de movimento fisiológicas não patológicas. Com isso é possível potencializar a recuperação de diversas patologias, e proteger o paciente para a realização de exercícios de maior impacto.

Trata-se um procedimento rápido, simples e muito eficiente que você pode desenvolver com material barato, disponível na maioria dos serviços de saúde e que muitos profissionais da área de saúde deveriam dominar.

bandagem funcional restritiva (Sport Taping) serve para preservar os movimentos de uma articulação lesionada e inibir os movimentos causadores de dor e piora, evitando os métodos tradicionais e ultrapassados (como o gesso, por exemplo). Pode ser realizada em qualquer local do corpo, em pouco tempo e sem tirar o movimento e a função do paciente, ou seja, sem perder força muscular, alongamento e rendimento (no caso de atletas).

A bandagem compressiva vai complementar uma drenagem manual ou mecânica e ainda vai conter o edema por todo o tempo que o paciente a utilizar. Pode ser usada também para conter edemas traumáticos junto com crioterapia evitando ou reduzindo o uso de antiinflamatórios, e diminuindo o tempo de recuperação e a dor.

E finalmente as bandagens proprioceptivas (Kinesio TapingMcConnell)corrigem desvios posturais e alterações de gravidade, previnem dores e são bastante utilizadas em atletas, gestantes e idosos podendo ser associada à R.P.G. e ao Pilates, potencializando o tratamento.

Este curso tem embasamento teórico, mas é 80% prático. É voltado para fisioterapeutas, educadores físicos e enfermeiros. As bandagens serão realizadas por todos os alunos e todos sairão aptos a realizar todas elas em seus pacientes e alunos.

Disponibilizaremos todo o material necessário, apostila e material de apoio com fotos das principais técnicas. Os alunos poderão participar dos nossos encontros de atualizações e dúvidas gratuitamente.
 
“Realizar uma bandagem é manter em seus limites fisiológicos as funções de uma articulação, limitando as amplitudes máximas, para conservar somente o movimento útil de uma zona indolor.”


Objetivo
O curso consiste em introduzir o aluno aos conceitos de bandagem, e ensiná-lo na prática como realizar as principais técnicas de contenção, tratamentos de edemas e bandagens proprioceptivas.

Conteúdo
- Histórico
- Definição das bandagens
- Princípios básicos e generalidades
- Tipos e materiais utilizados
- Objetivos de uso 
- Indicações e contra-indicações
- Práticas das técnicas de imobilização com o uso debandagens funcionais (Sport Taping)
- Práticas das técnicas de Bandagens compressivas para edemas
- Prática de técnicas de Bandagens proprioceptivas. (Kinesio Taping McConnell)


Local


Vatagens desse curso!!!

*Melhor realação custo beneficio!
*Bandagens importadas Kinesio Tape disponível no curso sem custo adicional
*Apostila completa e material de apoio para estudo em CD
*Ministrante com formação reconhecida e grande experiência clínica
*Curso em Portugues
*Vários conceitos em um curso -McConnell, Sport Taping, Kinesio Tape

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Conhecendo a Coluna para saber se cuidar


Por:  Felipe Ribeiro Mascarenhas


               Fisioterapeuta

É comprovado que conhecendo melhor seu corpo fica muito mais fácil reconhecer seu problema e consequentemente, mais fácil de se tratá-lo. Por isso é importante, se informar ao máximo antes de realizar um tratamento, para qualquer que seja a patologia.

Observe a coluna na figura abaixo:

Coluna Vertebral


Olhando de Frente a coluna deve ser reta. Quando há algum tipo de desvio para os lados, chamamos este desvio de escoliose, e a coluna toma um formato de “C” ou de “S”.

Quando olhamos a coluna de lado notamos que ela forma várias curvas do crânio ao cóccix que chamamos de lordose cervical, cifose torácica, lordose lombar, cifose sacral. O aumento dessas curvas chama de hiper-lordose, ou hiper-cifose, e a diminuição das curvas chamam de retificação.

Tanto o aumento, quanto a diminuição das curvas podem ser condições patológicas de alterações posturais (que podem resultar em dor).

A coluna é composta pelas seguintes estruturas: vértebras (ossos), costelas na coluna torácica (também são ossos), articulações, discos, ligamentos, nervos e músculos.

Todas essas estruturas são possíveis de causar dor na coluna cada uma dessas estruturas poderá trazer uma dor com determinada característica.

  • Ossos doem quando são apertados, esfregados ou com frio;
  • Articulações podem doer durante o movimento, trazendo limitação para o mesmo;
  • Ligamentos podem doer durante o movimento, mas a dor maior é no final do movimento. Também apresentam a característica de doer após algum tempo de repouso, e a dor diminui com a repetição do movimento;
  • Nervos produzem uma dor do tipo fisgada, muitas vezes com a característica de choque e formigamento, e essa dor pode percorrer um caminho específico;
  • Discos têm uma dor característica ao movimento e pode levar o indivíduo a uma postura antálgica (ficar com a coluna torta para não sentir dor). Problemas de discos podem levar à compressão de um nervo, causando os sintomas dos nervos;
  • Músculos doem ao movimento, principalmente quando se contraem.


Além das estruturas internas da coluna, existem estruturas que podem simular dores na coluna:

  • Os rins podem simular uma lombalgia no caso de cálculos;
  • Os pulmões podem simular dores torácicas no caso de pneumonia;
  • O colo sigmóide (ultima porção do intestino, antes do reto) pode simular uma lombociatalgia (dor na região lombar com irradiação para as pernas).
     

Zonas de Dor

Portanto para tratar a coluna, é preciso de um bom diagnóstico realizado por um bom especialista.


Copyright © Todos os direitos reservado para Felipe Ribeiro Mascarenhas
 
Atenção!
Se você deseja reproduzir, ou divulgar esse texto deve inserir o nome do autor e o endereço do sitewww.colunasemdor.com.br logo abaixo do título do texto.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Hérnia de disco na coluna pode dar Aposentadoria



 Apesar de a lombalgia estar entre os principais motivos de licença médica, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, "poucas são as pessoas que se preocupam em fazer atividades físicas, como musculação e pilates, e manter uma postura correta no trabalho", segundo especialistas do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral. O fisioterapeuta osteopata Helder Montenegro explica que é importante tomar cuidados no trabalho para prevenir dores na coluna, LER e hérnias de disco. E entre os mais prejudicados por esses problemas estão dentistas, arquitetos, fisioterapeutas, carteiros, cabeleireiros, motoristas, mecânicos, secretárias, entre outros que passam muitas horas na mesma posição – sentados ou em posturas inadequadas.


De acordo com o fisioterapeuta, exagerar no carregamento de peso (acima de 10% do peso do indivíduo), ficar muito tempo em uma mesma posição, repetir os movimentos por muitas vezes durante o dia ou mesmo executar tarefas com o tronco para frente – postura que mais sobrecarrega os discos intervertebrais – são alguns dos fatores que devem ser evitados. "A recomendação para esses profissionais é a prevenção, mas quando o problema surge é preciso procurar um tratamento o quanto antes", explica Montenegro.

Para os profissionais que já sofrem com problemas na coluna e não querem se submeter a uma cirurgia, o tratamento convencional tem apresentado bons resultados. Segundo a Revista da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos, somente 10% dos casos de hérnia de disco precisam de cirurgia. E, para os outros casos, tratamentos com fisioterapia aliada a exercícios de fortalecimento dos músculos posturais, podem ser eficazes, evitando a recidiva. Além disso, pode ser recomendado para esses pacientes o repouso e uso de analgésicos, anti-inflamatórios e anestésicos.

Fonte: Flöter&Schauff Assessoria de Comunicação.


sexta-feira, 8 de junho de 2012

Curso de Osteopatia Clinica em Campinas


Osteopatia Clínica

MELHOR RELAÇÃO CUSTO BENEFÍCIO EM CURSOS DE OSTEOPATIA

A Osteopatia é uma metodologia extremamente eficaz de avaliação e tratamentos, que se utiliza de técnicas específicas de terapia manual e manipulação da coluna vertebral e demais articulações do corpo com a finalidade de reestabelecer a função das estruturas e sistemas corporais. Sendo assim um sistema metodológico prática, eficaz e de baixo custo.
 
Está embasada por fundamentos científicos de anatomia, fisiologia, e semiologia médica, e é tão benéfica que a OMS (organização Mundial de Saúde), reconhece e incentiva a sua prática.

Objetivos

Este curso tem como objetivo introduzi o aluno aos conceitos da Osteopatia e abordar os problemas mais comuns encotrados no dia a dia da clínica de Fisioterapia, e traçar uma abordagem muito pratica de avaliação e tratamento sob a ótica da Osteopatia. de avaliação e tratamento..
Ao final o aluno terá ferramentas suficientes para realizar um tratamento osteopático do início ao fim.
.
Conteúdo

• Histórico da Osteopatia
• Leis de Still
• Fisiologia Osteopática
• Lesão Osteopática e disfunção somática
• Conceito de Hipermobilidade e Hipomobilidade
• Leis de Fryette
• Indicações e contraindicações
• Avaliação Osteopática Geral
   o Exame estático – Postural
   o Testes de mobilidade
   o Palpação estática e dinâmica 
   o Testes Neurológicos
   o Teste de Mitchel
   o Estrela de dor
• Princípios da Técnica de Músculo Energia
• Princípios da Técnica Neuro Muscular
• Princípios das Técnicas de Thrust
• Biomecânica, avaliação e tratamento da coluna lombar
   o Testes Lombares
   o Técnicas de Thrust para Vértebras Lombares
   o Técnicas para tecidos moles
• Biomecânica, avaliação e tratamento da Sacro-ilíaca
   o Testes de mobilidade da Sacro-ilíaca
   o Manobras de Thrust para Sacro-ilíaca
• Biomecânica, avaliação e tratamento da coluna torácica
   o Testes para coluna torácica
   o Manobras de Thrust para torácica
   o Tratamento de tecidos moles envolvidos com a coluna torácica
• Biomecânica, avaliação e tratamento da coluna cervical
   o Testes cervicais 
   o Manobras de Thrust para cervical
   o Manobras de tecidos moles
   o Liberação miofascial para cervical alta
• Biomecânica, avaliação e tratamento do membro superior
   o Avaliação do punho
   o Manobras com thrust para o punho
   o Mobilização para o punho
   o Manobras de Thrust e stretching para cotovelo
   o Manobras de mobilização para ombro
• Biomecânica, avaliação e tratamento do membro inferior
   o Manobras para tornozelo
   o Manobras para meniscos

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Curso de Liberação Miofascial e Pontos Gatilho







Rotina

A ideia é a rotina do papel.
O céu é a rotina do edifício.
O inicio é a rotina do final.
A escolha é a rotina do gosto.
A rotina do espelho é o oposto.
A rotina do perfume é a lembrança.

O pé é a rotina da dança.
A rotina da garganta é o rock.
A rotina da mão é o toque.
Julieta é a rotina do queijo.
A rotina da boca é o desejo.

O vento é a rotina do assobio.
A rotina da pele é o arrepio.
A rotina do caminho é a direção.
A rotina do destino é a certeza.
Toda rotina tem sua beleza.
(campanha Natura)




Este curso possui as mais modernas e eficientes técnicas para desativação de Pontos Gatilhos, e Liberação Miofascial, onde o aluno aprenderá técnicas para aplicação imediata, podendo ver e perceber seus efeitos de longa duração.
A Liberação Miofascial é composta por uma série de técnicas muito eficientes, para a liberação do tecido conjuntivo, com aplicação nas áreas de ortopedia, neurologia, estética e tratamentos de postura. São técnicas seguras que nos permitem tratar pacientes pediátricos e gerontológicos.

Objetivos
Introduzir o aluno para as técnicas de Liberação Miofascial e desativação de Pontos Gatilho Miofasciais com técnicas eficientes e de resultado imediato.

Programa
  • Anatomia, histologia e fisologia das fáscias
  • Pontos Gatilhos
  • Técnica de jones
  • Técnica de Spray & Stretch
  • Técnicas de Liberação e Indução Miofascial (para toda coluna, mmss e mmii)