terça-feira, 20 de novembro de 2012

Tratamento das dores de cabeça mais comuns


As Dores de cabeça mais comuns e melhor forma de as tratar

 

Dor de cabeça é definida como a presença da sensação dolorosa na cabeça, pescoço e face. Existem mais de 150 tipos diferentes de dor de cabeça sendo que as mais comuns são as dores de cabeça de fim-de-semana, de ressaca e de tensões devido a vida agitada e aos problemas pessoais e profissionais com que somos confrontados no dia a dia.

As cefaleias secundárias, podem ser causadas por problemas em quaisquer regiões do corpo, podem ter inúmeras causas. Tumores cerebrais, meningites, aneurismas, problemas dos olhos, ouvidos, garganta e até um simples resfriado podem ser responsáveis por dores de cabeça secundárias.

NÃO SE ESQUEÇA, QUE TODA A DOR DE CABEÇA TEM UMA CAUSA E SÓ UM ESPECIALISTA PODE AVALIA-LA CORRETAMENTE E EXCLUIR AS CAUSAS MAIS SÉRIAS E AMEAÇADORAS!!

Obviamente o meu objectivo maior é dar alguma orientação referente as dores de cabeça mais comuns que transformam em sofrimento a vida dos pacientes.

Por isso vou apenas falar das dores de cabeça mais comuns que é o caso das dores de cabeça de fim-de-semana, de ressaca e de tensões.

Há um tipo de dor de cabeça que ocorre em alguns pacientes apenas ou principalmente em períodos de férias e fins-de-semana.

Apesar de poucos se darem conta dessa relação, esse tipo de dor de cabeça ocorre em pacientes que ingerem várias chávenas de café ou bebidas que contenham cafeína (tais como refrigerantes do tipo Coca-Cola , chá preto, etc) durante a semana de trabalho e a reduzem no final de semana. Aparece algumas horas após o paciente ter ingerido a sua última dose de cafeína. Pertencente ao grupo classificado pela Sociedade Internacional de Cefaléia como "dores de cabeça induzidas pela retirada de substâncias usadas cronicamente".

Esta dor apresenta-se em peso ou pressão, bilateralmente, de intensidade leve a moderada ou moderada e iniciando-se algumas horas após o café da manhã de sábado ou do primeiro dia de férias. Essa dor não incapacita o seu portador para as actividades quotidianas e não piora com as tarefas normais, embora incomode bastante o paciente

Essa dor pode ser evitada restringindo-se a ingestão de cafeína durante a semana e impedindo a súbita abstinência nos dias e períodos em que ele não é ingerida. Isto significa que pacientes com dor de cabeça com essas características clínicas, ocorrendo em períodos em que não se trabalha e concomitantes a importante redução da ingestão de cafeína devem evitar o seu uso em quantidades significativas nos períodos em que se está a trabalhar. A utilização de analgésicos deve ser desencorajada e até ocorrer a melhora da dor, o paciente pode ingerir uma quantidade pequena de cafeína que será suficiente para melhorá-la e não manter o estado de intoxicação crónica. Lembro ainda que há outros tipos de dor de cabeça com essas características clínicas mas que não pertencem a este grupo.

A dor de cabeça da ressaca é uma dor caracterizada por peso ou latejamento, muitas vezes intensa, na fronte e têmporas acompanhada por tontura, mal estar e aumento da sede
Ocorre após ingestão excessiva de álcool e pode ser evitada impedindo-se a desidratação que o álcool provoca (para cada copo de bebida deve-se beber dois copos de água). Como essa dor pode durar 12 a 24 horas e causar incapacidade funcional, aconselha-se repousar, ingerir bastante água e alimentos leves.

Por fim temos as dores de cabeça devido a tensões.

Ao contrário de que muitos pensam, esse tipo de dor de cabeça não tem relação directa com a tensão emocional mas sim com a tensão ou contracção exagerada, anormal e mantida de grupos musculares dos ombros, pescoço, couro cabeludo e até face. É o tipo de dor de cabeça mais comum que existe mas por não ser tão intensa e incapacitante, faz com que seus portadores, mesmo crónicos, não procurem tanto a ajuda médica como por exemplo fazem os sofredores de enxaqueca
Este tipo de dores de cabeça são extremamente comuns, moderada e geralmente não incapacitando o paciente. Porém, assume carácter problemático e incomodo quando passam a ocorrer mais de 15 dias por mês, configurando o carácter crónico.

As dores de cabeça do tipo tensional episódicas acometem 87% da população geral, segundo estudo feito na Dinamarca. Há estudos epidemiológicos que atestam a prevalência dessas dores de cabeça em 84% das mulheres e em 67% dos homens.

A dor de cabeça do tipo tensional geralmente  caracteriza-se por peso, pressão ou aperto, muitas vezes simulando uma faixa ou capacete apertado em volta da cabeça, habitualmente localizadas na fronte e/ou na nuca e topo da cabeça, de intensidade leve a moderada ou moderada não impedindo as actividades rotineiras diárias.

Normalmente não há sintomas associados e alguns pacientes podem se queixar de intolerância, durante a dor, a ruídos mais intensos (fonofobia).

A dor pode durar de horas a até 7 dias.

A melhor forma de prevenir e tratar este tipo de dores é através de tratamentos que induzam ao relaxamento e recomenda-se vivamente a massagem relaxante, Reiki ou a terapia sacro-craneana por forma a promover um relaxamento profundo e geral.

A Terapia Sacro Craniana é uma terapia não invasiva, com um toque tão suave (semelhante ao peso de uma moeda) que pode ser usado em recém nascidos.

O funcionamento desta terapia desenvolve-se com toques extremamente lentos e suaves, que muitas vezes nem chegam a tocar no corpo, além disso cura através de técnicas energéticas.
Dado à natureza tão pacífica e calma deste processo, não afecta o corpo de maneira agressiva, logo não tem quaisquer contra-indicações.

Este processo deriva da Osteopatia Craniana, que reequilibra articulações cranianas corrigindo e diminuindo muitas das disfunções no crânio.

O alvo desta terapia é a melhoria da circulação do líquido céfalo-raquidiano, que se encontra nas meninges e protege todo o sistema nervoso central no cérebro proporcionando uma melhoria geral em todo o corpo.

Agora já sabe como fazer com sua dor de cabeça basta saber o que a provocou se foram uns copos a mais se ainda não bebeu café hoje ou se anda com muito stress

Fonte

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Causas de dores de cabeça

Rotações vertebrais – A artéria vertebral leva o sangue para a cabeça, mas como o próprio nome diz, ela passa pelas vértebras cervicais. Se essas vértebras apresentarem alguma disfunção (diminuição da mobilidade do segmento vertebral, geralmente se apresenta em rotação e inclinação) pode alterar o fluxo sanguíneo da artéria causando alteração o fluxo sanguíneo para a cabeça (tanto interno quanto externo) podendo causar dores. 

Outro fator é a alteração do tônus muscular a partir das rotações das vértebras cervicais. Essa mudança no eixo de inserção muscular altera a informação proprioceptiva que chega ao sistema nervoso central, e isso causa o espasmo muscular da região cervical, causando dores de cabeça.

Essa alteração do movimento vertebral cervical causa, também, uma irritação dos nervos que se originam da região cervical (lembrando que uma das funções do nervo é controlar a contração muscular), e isso acaba contribuindo para aumentar ainda mais o espasmo muscular na região cervical (os músculos da região vertebral são inervados por nervos cervicais), piorando o quadro doloroso e aparentando ainda mais a sensação do “pescoço duro”.

Tipo de dor: Dor de cabeça constante, que piora com os movimentos do pescoço (rotação, inclinação e flexo-extensão). Dor na região cervical (pescoço), muita tensão muscular local, tanto na região anterior quanto posterior do pescoço (cervical). Irradiação da dor para os ombros e para os membros superiores. 


Disfunções na ATM (Articulação Têmporo Mandibular): Vários músculos e articulações influenciam no bom funcionamento da ATM. O problema de oclusão pode causar dores de cabeça por tensões de musculaturas mastigatórias, e tensões em alguns ossos cranianos  (lembrando que a mandíbula se articula com o osso temporal). As disfunções da ATM aumentam o tônus de alguns músculos cervicais e mastigatórios e geralmente esses músculos apresentam dores referidas na cabeça. 

Tipos de dor: Pessoas que apresentam dores de cabeça, e também, dores ou estalidos durante o ato da mastigação. 


Tensões musculares: Provenientes de traumas ou por disfunções articulares, nessas situações acabam alterando o tônus muscular podendo levar a uma dor referida de cabeça (como foi citado anteriormente). Outra importância, são as tensões musculares que podem causar dores neurológicas, como é o caso do nervo occipital, que “perfura” os músculos posteriores cervicais como o esplênio, a tensão no esplênio pode gerar uma compressão nervosa e desencadear uma dor de cabeça com sintomas neuronais (sensibilidade na pele, dor difusa e latente). Diversos músculos podem gerar dores de cabeça, os principais são: trapézio, esplênio, levantador da escápula, escalenos, suboccipitais e músculos anteriores (esternocleidomastóideo, reto anterior, os hióideos, entre outros). Geralmente são causados por traumas locais, acidentes automobilísticos, problemas posturais, tensões, movimentos abruptos, problemas emocionais, entre outros.

Os músculos suboccipitais que são inervados pelo plexo cervical superior, podem causar fortes dores de cabeça, pois estes músculos estão relacionados diretamento com a região medular (anterior) e craniana (superior).

Tipo de dor: Geralmente é uma dor que piora ao alongar, pressionar ou contrair os músculos acometidos. A dor dificilmente fica focalizada, é comum relatar dores em outras regiões como “fundo dos olhos”, “dor no rosto”, “dor no ombro”, etc... . Se a dor for proveniente das tensões suboccipitais, podem causar enjôos associados com fortes dores ao mexer acabeça.


Problemas digestivos: A cabeça é uma região que representa dores referidas de alguns órgãos digestivos, principalmente fígado, estômago e vesícula biliar. Não necessariamente uma patologia (hepatite, úlceras, etc..) só o fato de apresentar alguns sintomas digestivos, como enjôos ao comer algo gorduroso ou ácido, dores no local, azia, gastrite, já é o bastante para começar a sentir dores de cabeça (isso se chama disfunção). Quando as pessoas fazem ingestão exagerada de bebida alcoólica, no dia seguinte ou no mesmo dia podem relatar dores de cabeça, pois bem, essa é um exemplo de dores causadas por problemas digestivos (mais precisamente hepáticos).

Tipo de dor: Dores constantes ou em horários determinados, algumas horas após as refeições. Geralmente a pessoa apresenta problemas viscerais, como enjôos após refeições gordurosas, alteração das fezes após alimentação gordurosa ou ingestão de álcool, gastrites, esofagites, refluxo, azia, entre outros. Dificilmente evolui com a ingestão medicamentosa


Problemas vasculares: As principais artérias que vascularizam o crânio e o SNC (sistema nervoso central) com todas as suas estruturas incluindo meninges, periósteo, etc. São realizadas através das artérias carótida (interna e externa ) e artéria vertebral. A artéria vertebral e carótida (no lado direito ambas se originam da artéria subclávia e no lado esquerdo a carótida se origina da artéria aorta enquanto a artéria vertebral se origina da subclávia esquerda). Qualquer problema tanto vertebral, ou algum trauma ou tensão nos tecidos próximos à região do manúbrio ou do pescoço (anterior), podem alterar o fluxo sanguíneo (pois alteram a inervação simpática vasomotora) e causar dores de cabeça. 

Tipo de dor: A dor altera com determinadas posições, ao realizar exercícios físicos intensos, ao pressionar a região do tórax ou vértebras torácicas altas e cervicais. Ao ingerir medicamentos vasoativos podem também causar fortes dores. O paciente relata uma dor pulsada.


Problemas neurológicos: As dores de cabeça de origem neurológica geralmente são causadas por uma alteração da condução do nervo da região cervical e/ou torácica alta, que fazem a inervação tanto de músculos, que com a sua tensão, podem causar dores de cabeça, quanto as alterações vasculares que também são inervadas por essa região (vasomotricidade). Os nervos do plexo vertebral superior que inervam os músculos superiores, como suboccipitais (relatados em dores musculares), tem grande importância nesses tipos de dores. Temos que lembrar que o nervo também dói, então o aumento da sua sensibilidade pode causar uma dor emtoda região cervical associada à dor de cabeça.
Outros nervos importantes são os cranianos, principalmente o abducente, óculo-motor, troclear (os três são motores dos olhos), trigêmio (motor da mastigação e sensibilidade da face), acessório (inervam músculos importantes – ver dores de origem muscular) e vago (inerva internamente parte do crânio). Quando estão com sua sensibilidade alterada, geralmente causados por traumas na cabeça, infecções e inflamações nervosas, também causam fortes dores de cabeça. 

Tipos de dor: Ela dificilmente melhora com medicamento. A dor é constante e altera pelo movimento da cabeça e do pescoço, podem vir associadas ao aumento da tensão muscular, alterações vasculares, dores no “couro cabeludo”, dores nos olhos, enjôos e fotofobia.

Cansaço visual: Os músculos que realizam a contração para realizar os movimentos do globo ocular são inervados por nervos craniais, que têm uma relação com a inervação de alguns músculos da região cervical, podendo causar alterações do tônus muscular sinérgico à contração dos músculos oculares. A “fadiga” desses músculos responsáveis pelo movimento do globo ocular pode causar dores de cabeça.

Tipo de dor: A dor se inicia trabalhar muito com leituras ou na frente do monitor.

Fonte
http://www.julianowada.com/destaques.php?id_caminhos=1&flag=1



segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Osteopatia nas dores de cabeça

Fonte: Site do Osteopata Dr. Mauro Gemelli - MAR/2010 

Muitas pessoas acham que têm enxaqueca e na verdade apresentam DOR DE CABEÇA apenas. Muitas pessoas têm dores de cabeça tensionais, mais frequentemente.
Uma dor de cabeça pode ser causada por irradiação de dor de músculos do pescoço. Essa irradiação é a mesma que o coração faz para o braço esquerdo quando está tendo um infarto, que serve pra avisar que algum problema está acontecendo.

São problemas que podem gerar dor de cabeça frequentemente:Tensões musculares subnucais, diminuições de movimento de articulações cervicais, distúrbios da ATM (articulações têmporo-mandibulares), distúrbios genito-urinários (útero) e pelve e até mesmo disfunções de fígado, por exemplo. Essas disfunções musculo-articulares podem gerar dores irradiadas, tensões sobre circuação cerebral, e gerar crises de dor frequentes (enxaqueca).
Muitos músculos no nosso corpo fazem essa irradiação de dor quando estão sobre sofrimento (deficiência na circulação, assim como com o coração). Essa dor, na cabeça, pode ser irradiada para o fundo dos olhos e região supraorbital, topo da cabeça, nuca e têmporas, por exemplo.
Tratamento medicamentoso: na sua maioria visam melhorar a circulação intra-craniana. Outros bloqueiam transmissão de impulsos dolorosos (o que pode gerar efeitos colaterais, como sono).
A Osteopatia é o tratamento que considera todos os fatores mecânicos da dor de cabeça. Trata-os (CAUSA) e elimina-se a consequência, que é a dor de cabeça. Cessam-se as crises, necessidade de uso de medicações e as consequências de uso crônico de medicamentos.